Morre a atriz Elizabeth Taylor

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

No dia 23 de março de 2011, o mundo de cinema perdeu uma das atrizes clássicas, se chamava Elizabeth Taylor, morreu aos 79 anos. Essa atriz da beleza inigualável e dona dos olhos cor azul-violeta tem uma grande história: começou a trabalhar no ramo de cinema aos 10 anos, depois virou uma estrela nos anos 50 e 60, colecionou vários casamentos e divórcios, teve 3 filhos e 9 netos, ganhou os dois Oscars e recebeu mais três indicações, foi ativista para campanhas contra a AIDS nos anos 80 por causa da morte de seu amigo Rock Hudson, foi a primeira atriz a receber US$ 1 milhão por um papel em um filme (Cleópatra), foi grande amiga de Michael Jackson, apareceu nas várias listas de revistas como maiores estrelas do cinema, tem uma estrela com seu nome na Calçada da Fama, em Hollywood, se aposentou como atriz em 2003 e faleceu por não resistir na cirurgia no coração. Como disse antes, ela teve uma história grande mesmo.
Agora vamos conhecer alguns trabalhos cinematográficos dela:

Lassie e a Força do Coração
(Lassie Come Home, 1943)
Liz Taylor trabalhou como coadjuvante no seu segundo filme da carreira, com a personagem principal famosa: a cadela Lassie.

A Mocidade é Assim Mesmo
(National Velvet, 1944)
Participou do filme que fala sobre a garota Velvet (Taylor) conhece o orfão Mi (Mickey Rooney), o pai da garota deu o trabalho para Mi, a garota ganhou o cavalo na rifa, chamou o orfão para ajudar a treinar o cavalo para competir na corrida de cavalos.

O Pai da Noiva
(Father of the Bride, 1950)
Liz tinha 17 anos quando trabalhou nesse filme, fez o papel da filha do grande ator Spencer Tracy que deu a notícia-bomba: ela vai se casar. O pai está em crise de cíumes e com medo de perder a única filha. A comédia deliciosa recebeu as três indicações de Oscar: Filme, Ator para Tracy e Roteiro e teve uma refilmagem de 1991 com Steve Martin e Diane Keaton.

Um Lugar ao Sol
(A Place in the Sun, 1951)
O jovem ambicioso George (Montgomery Clift) vai trabalhar numa fábrica do seu tio rico, é avisado que não pode se envolver com funcionárias e encontra a funcionária humilde Alice (Shelley Winters). Depois de entrar na alta sociedade, George se apaixona por rica e sofisticada jovem Angela (Elizabeth Taylor), desiste da Alice, que não aceita a rejeição, principalmente descobre que está grávida.

Assim Caminha a Humanidade
(Giant, 1956)
Taylor trabalhou com dois astros do cinema Rock Hudson e James Dean nesse fabuloso épico que conta sobre três gerações de famílias texanas, retrata os conflitos amorosos, disputas econômicas, preconceitos raciais, tudo entre a corrida pelo petróleo. Liz fez o papel da filha do dono de fazenda, é apaixonada por personagem do Hudson.

Gata em Teto de Zinco Quente
(Cat on a Hot Tin Roof, 1958)
Nesse drama conflituoso, Brick (Paul Newman), que foi astro do futebol americano, está de muletas devido a acidente de carro quando estava bebâdo, se torna alcoólatra, vive um casamento infeliz, deixa a esposa (Taylor) frustrada, ama o marido, tenta ajudar, mesmo sendo desprezada por ele. Pela segunda vez, Liz foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz.

De Repente, no Último Verão
(Suddenly, Last Summer, 1959)
O neurocirurgião John (Montgomery Clift), interessado em conseguir recursos no hospital onde trabalha, conhece a senhora rica de aristocracia Violet (Katharine Hepburn) que quer mandar fazer uma lobotomia para sua sobrinha (Elizabeth), que está acometida de crises de loucura. Liz recebe a sua terceira indicação de Oscar.

Disque Butterfield 8
(Butterfield 8, 1960)
Elizabeth fez o papel da prostituta que tem vários casos amorosos, de repente, se apaixona por um homem casado que tem diversos problemas. Ela ganhou o seu primeiro Oscar de Melhor Atriz.

Cleópatra
(Cleopatra, 1963)
Um dos papéis mais conhecidos da atriz, fez o papel da Cleópatra, a rainha do Egito , o filme de 4 horas da duração narra a ascensão e o declínio dela, sua luta para defender o império e seu relacionamento com Júlio César e Marco Antônio.

Quem Tem Medo de Virginia Woolf?
(Who’s Afraid of Virginia Woolf?, 1966)
O professor universitário (Richard Burton) e sua esposa, que é filha do reitor (Liz Taylor), recebem um casal jovem, um professor (George Seagal) e sua mulher (Sandy Dennis) no final da noite, as confissões entre quatro se tornam mais ácidas e a verdade se torna muito deprimente. Taylor ganhou o seu segundo Oscar de Melhor Atriz.

Os Flintstones, o Filme
(The Flintstones, 1994)
Um dos seus últimos trabalhos cinematográficos, a Elizabeth fez o papel da mãe de Wilma e da sogra do Fred que a detesta nessa comédia divertida do desenho animado que foi adaptado para cinema. Uma curiosidade: a Liz foi indicada a Framboesa de Ouro como pior atriz coadjuvante por esse filme.

Descanse em paz, querida Liz Taylor!
Sentimos saudades de você.

Abraços, GDJ!
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×
  • Com certeza uma pena mto lamentavel, ela vai fazer muita falta. Infelizmente a saude dela sempre foi muito fraca desde nova, poderia ter mto sucesso ainda velha.
    Adorei a homengem no seu blog Germano, incrivel como foram poucos, mas bem-sucedidos filmes.
    Abraçao.
    [topmodelnext.blogspot.com]
    [pedrowood.blogspot.com]